Novos tempos, novos saberes…

Atualmente sabemos que se faz cada vez mais necessário que tenhamos os conhecimentos básicos para trabalhar com as diferenças que surgem em sala de aula. Novos tempos… Tempos em que alunos que antes eram destinados apenas a instituições assitenciais estão frequentando classes regulares, portanto, a exigência de novos saberes, um profissional diferenciado que saiba trabalhar e atender as necessidade deste “novo” perfil de aluno da melhor maneira possível, para isso é preciso estar sempre em formação e qualificação profissional. O que através deste curso e extensão temos tido de maneira muito interessante, tendo oportunidade de aprender a trabalhar com novas ferramentas, trocar experiências com colegas e compartihar ideias.

Aproveito para compartilhar esta cartilhar, a qual achei interessante.

discussao

Cartilha – A hora e a vez da familia – SORRI-BRASIL

 

 

Avaliar, reavaliar e planejar o amanhã…

mafalda-3

Esta da mafalda já tem algum tempo e como todas dela (do Quino), sempre nos trazem algo a pensar, refletir e agir.

Talvez para quem trabalha na educação isso seja algo ainda mais evidente e necessário, uma vez que a prática diária, nos impõe o pensar contínuo e perceber o que pode melhorar, o que deve ser diferente e que devemos continuar, poir o caminho é certo.

Revendo referenciais encontrei este que achei interessante compartilhar com colegas de profissão, trechos extraídos do Livro “ADEUS PROFESSOR, ADEUS PROFESSORA? Novas exigências educacionais e profissão docente” de José Carlos Libâneo …

Novas atitudes docentes

Assumir o ensino como mediação: aprendizagem ativa do aluno com a ajuda pedagógica do professor.

Modificar a idéia de uma escola e de uma prática pluridisciplinar para uma escola e uma prática interdisciplinares.

Conhecer estratégias do ensinar a pensar, ensinar a aprender a aprender.

Persistir no empenho de auxiliar os alunos a buscarem uma perspectiva crítica dos conteúdos, a se habituarem a apreender as realidades enfocadas nos conteúdos escolares de forma crítico-reflexiva.

Assumir o ensino como mediação: aprendizagem ativa do aluno com a ajuda pedagógica do professor.

Modificar a idéia de uma escola e de uma prática pluridisciplinar para uma escola e uma prática interdisciplinares.
·       A escola pluridisciplinar é a que conhecemos: as disciplinas do currículo são justapostas e isoladas entre si, geralmente sem integração entre os domínios do conhecimento.
·       A noção mais conhecida de interdisciplinaridade é a interação entre duas ou mais disciplinas para superar a fragmentação, a compartimentalização de conhecimentos, implicando uma troca entre especialistas de vários campos do conhecimento na discussão de um assunto, na resolução de um problema, tendo em vista uma compreensão melhor da realidade.
·       Nessa noção está a idéia de superação da especialização excessiva, portanto, de maior ligação teoria-prática, maior ligação da ciência com suas aplicações. A idéia é de que não se trata de conhecer por conhecer, mas de ligar o conhecimento científico a uma cognição prática, isto é, de compreender a realidade para transformá-la.
·       Atitudes e práticas interdisciplinares, todavia, não são incompatíveis com a organização do currículo por disciplinas escolares que têm por base as disciplinas científicas, porque não há prática interdisciplinar sem a especialização disciplinar.
·        O vício principal do currículo por disciplinas é reduzir o ensino à exposição oral dos conteúdos factuais e ao material informativo do livro didático, sem considerar o processo de investigação, os modos de pensar a que as disciplinas recorrem, a funcionalidade desses conteúdos para a vida prática cotidiana.

É daí que se postula uma atitude interdisciplinar que mobiliza o professor a transitar do geral ao particular e deste ao geral, do conhecimento integrado ao especializado e deste ao integrado, do território da disciplina às suas fronteiras e vice-versa.

Uma mudança de atitude dos professores diante da rigidez da organização disciplinar implica compreender a prática da interdisciplinaridade em três sentidos: como atitude, como forma de organização administrativa e pedagógica da escola, como prática curricular.

A atitude interdisciplinar, tal como propõe Fazenda (1994), significa não só eliminar as barreiras entre as disciplinas, mas também as barreiras entre as pessoas, de modo que os profissionais da escola busquem alternativas para se conhecerem mais e melhor, troquem conhecimentos e experiências entre si, tenham humildade diante da limitação do próprio saber, envolvam-se e comprometam-se em projetos comuns, modifiquem seus hábitos já estabelecidos em relação à busca do conhecimento, perguntando, duvidando, dialogando consigo mesmos.

Trata-se, portanto, de um modo de proceder intelectualmente, de uma prática de trabalho científico, profissional, de construção coletiva do conhecimento.

A organização escolar interdisciplinar é um modo de efetivar a atitude interdisciplinar e se expressa na elaboração coletiva do projeto pedagógico e nas práticas de organização e gestão da escola.

Começa, portanto, com a integração dos professores das várias disciplinas e especialistas num sistema de atitudes e valores que garantam a unidade do trabalho educativo e se viabiliza por um sistema de organização e gestão negociado.

Como prática curricular, há muitas formas de viabilização:

Reunir disciplinas cujos conteúdos permitem tratamento pedagógico-didático interdisciplinar (por exemplo, em projetos específicos ligados a problemas sociais, às grandes questões atuais, a temas unificadores etc.);

Formular temas geradores, após levantamento de características da realidade local e da identificação de problemas mais significativos para o grupo de alunos, de forma que possibilitem a compreensão mais globalizante dessa realidade por meio da contribuição de várias disciplinas;

Desenvolver práticas de ensino não convencionais que ajudem os alunos a aprender a pensar, a ter maior flexibilidade de raciocínio, a ver as coisas nas suas relações;

Em cada disciplina, orientar o estudo de um assunto para abordá-lo em todos os seus aspectos, ligações, relações internas e externas, e fazer a ligação com os problemas sociais e cotidianos.

Atitude interdisciplinar requer uma mudança conceitual no pensamento e na prática docente, pois seus alunos não conseguirão pensar interdisciplinarmente se o professor lhes oferecer um saber fragmentado e descontextualizado.

Formação de Leitores

A escola exerce papel fundamental em proporcionar a criança meios para conhecer o mundo encantado dos livros, seja através dos clássicos infantis, contos, lendas, anedotas, quadrinhos, dentre vários outros. Mas para que isso ocorra de maneira adequada, é fundamental que os professores façam a ligação entre os alunos e os livros, ao mundo do faz-de-conta, pois estes ampliam o potencial imaginativo da criança, tornando-a mais criativa.

Atualmente e com tantos recursos disponíveis, existem várias formas de incentivar a criança a gostar de ler, e consequentemente desenvolver o hábito de leitura. A contação de histórias é uma dessas formas, pois as crianças se encantam com o professor, com a entonação de sua voz, os gestos que faz, as caras e bocas, os risos ou choros, enfim, tudo aquilo que traz emoção para o momento.

Mas, além de um momento de prazer, a leitura deve ter o objetivo de promover a capacidade reflexiva e crítica e isso ocorre quando o professor abre espaço para discussões após a mesma, dando oportunidade dos alunos darem suas opiniões, comentando e dividindo com o grupo o que leram, podendo até mesmo posicionar-se à favor ou contra certas situações que a história apresente.

Os recursos são diversos, metodologias variadas, embasamento e referencial para efetivação de trabalho existem inúmeros, mas a peça fundamental nesse processo é a atuação do professor, pois só busca desenvolver novos leitores aquele já se apaixonou pela leitura.

Tatiana Linhares dos Santos

Professora Graduada em Ciências-Matemática, Atriz, Especialista em Mídias na Educação

HORA DA LEITURA

LEITURA

“Desconheço liberdade maior e mais duradoura do que esta do leitor ceder-se à escrita do outro, inscrevendo-se entre as suas palavras e os seus silêncios. Texto e leitor ultrapassam a solidão individual para se enlaçarem pelas interações. Este abraço a partir do texto é soma das diferenças, movida pela emoção, estabelecendo um encontro fraterno e possível entre leitor e escritor. Cabe ao escritor estirar sua fantasia para, assim, o leitor projetar seus sonhos.

As palavras são portas e janelas. Se nos debruçamos e reparamos, nos inscrevemos na paisagem. Se destrancamos as portas, o enredo do universo nos visita. Ler é somar-se ao mundo, é iluminar-se com a claridade do já decifrado. Escrever é dividir-se.

Cada palavra descortina um horizonte, cada frase anuncia outra estação. E os olhos, tomando as rédeas, abrem caminhos, entre linhas, para as viagens do pensamento.”

Bartolomeu Campos Queirós

Image

TRABALHO DE ARTES SOBRE “MÚSICA”

O QUE É MÚSICA???

Música é a combinação de ritmo, harmonia e melodia, de maneira agradável ao ouvido. No sentido amplo é a organização temporal de sons e silêncios (pausas). No sentido restrito, é a arte de coordenar e transmitir efeitos sonoros, harmoniosos e esteticamente válidos, podendo ser transmitida através da voz ou de instrumentos musicais.

A música é uma manifestação artística e cultural de um povo, em determinada época ou região. A música é um veículo usado para expressar os sentimentos.

A música evoluiu através dos séculos, resultando numa grande variedade de gêneros musicais, entre eles, a música sacra ou religiosa, a erudita ou clássica, a popular e a tradicional ou folclórica. Cada um dos gêneros musicais possuem uma série de subgêneros e estilos.

Será que saberíamos viver sem música???

Como seria isso???

Compartilho com vocês estes vídeos. Assistam e reflitam sobre quais sensações (sentimentos) eles lhes fazem sentir.

Podem deixar registrado alguma coisa aqui no blog mesmo, mas quero que me entreguem algo em sala de aula de forma impressa ou manuscrita. Deixem sua alma leve os sentimentos aflorarem…

BOM TRABALHO!!!

https://www.youtube.com/watch?v=gosY-UrpHcA&list=PLFA6A34BA7CDCD03E

https://www.youtube.com/watch?v=0VqTwnAuHws

http://www.youtube.com/watch?v=n4JD-3-UAzM

http://www.youtube.com/watch?v=Cgovv8jWETM&feature=c4-overview-vl&list=PLAEBF3913C725DC73

Mas não fiquem só por estes, vão além… viagem pelas notas musicais…

Abraçossssssssssss “sonoros”

musica

RECOMEÇANDO…

Estive sumida… Muito sumida…

Desculpa aqueles que estiveram por aqui e não encontraram nada de novidade, sei o quanto isto é frustante e por isso me retrato.

Mas recomeçando vamos sacudir, tirar a poeira e seguir em frente…

recomeçar

Abração a todos queridos que passarem e derem uma “espiadinha” por aqui…

Planejamento da programação da Rádio Galera Retrô…

O trabalho dos grupos está sendo muito interessante, pois estão se empenhando muito e com isso eles tem apresentado suas qualidades .

Compartilho com vocês o planejamento inicial da programação feita por um dos grupos.

RADIO GALERA RETRÔ

LOCUTOR 1 – E aí galera, aqui quem fala é a Fabíola e hoje é o dia da década de 90. Para começar e deixar vocês bem informados, vamos falar dos importantes acontecimentos dessa década no Brasil e no mundo.

Nos esportes em 20 de outubro de 1991, Ayrton Senna conquistou o tricampeonato mundial de Fórmula 1, mas infelizmente em 01 de maio de 1994, faleceu devido a um acidente sofrido na corrida de Imola/Itália. Neste mesmo ano em julho ocorreu a Copa do Mundo de Futebol nos EUA, na qual o Brasil tornou-se Tetra campeão.

Na ciência e tecnologi em 05 de julho de 1995, foi realizado o primeiro processo de clonagem de um mamífero, que foi a ovelha Dolly. Em 27 de setembro de 1998  foi fundada a empresa Google.

Na política em 09 de fevereiro de 1994 Nelson Mandela tornou-se o primeiro presidente negro da África do Sul.

Na música em 02 de março de 1996 morreram os integrantes do Grupo Mamonas Assasinas, em um acidente aéreo.

Na cultura em 27 de julho de 1997 foi lançado o primeiro livro da série Harry Potter.

Muita coisa aconteceu pessoal. Deixo a palavra para meu colega Felipe.

Locutor 2 – E ai galera!!! Pra vocês trago alguns acontecimentos históricos dessa década aqui em nossa escola.

No final de fevereiro de 1990 o sonho tornou-se realidade para a comunidade de Moinhos D’Água, a Escola Municipal de 1° Grau Incompleto São João com 720m² de área, dois pisos, seis salas de aula, secretaria, cozinha, biblioteca, sala dos professores, totalizando dez salas. Em 1992 passou a funcionar a pré-escola até a 5ª série com 151 alunos matriculados. Foi feita também uma homenagem a primeira diretora Maria Lizéria Stein.

Agora sim galera a música vai começar. Vamos tocar as melhores e mais escutadas músicas da década de 90. Vocês vão escutar Skank (Vamos Fugir?), Jota Quest (De volta ao planeta), Cássia Eller (Malandragem) e para finalizar Nickelback (How you remind me).

Obrigada galera e continuem conosco. Valeu. Até a próxima…

E pela amostra, já perceberam que vem muito mais por ai…

Beijos Profe Tati